10.02.2011

October


Na rua, o vento forte alaga as ultimas folhas secas e com elas, percorre a rua. Embora o sol ainda brilhe, lá no alto, aos poucos, as coisas vão perdendo a sua magia e a sua cor, e claro, não falo somente da paisagem que se estende ao longo da janela.
Dentro de mim, uma mistura pouca homogénea de esperanças, sentimentos e inseguranças vagueia, como um cachorro perdido, sem um teto para se abrigar da chuva, e sem um osso para enganar o estômago, que aperta faminto, a cada nova pequena passada.
Faz algum tempo, a ultima vez que dei por mim, com o estúpido sorriso preso no rosto, cravado nos cantos da boca, acompanhado do brilhar confiante e desejoso nos olhos castanhos que agora, escondem a todo custo, o medo de uma desilusão.
Tenho medo de cair no vazio, de encontrar as páginas em branco no fim do conto de fadas. Eu simplesmente, não quero, nem estou preparado, para aguentar novamente um romance falhado porque, infelizmente, não é tão simples ao ponto do vento quente do Outono, levar consigo a tristeza que carrego, junto com as folhas secas, pela rua abaixo. 

3 comentários:

  1. peço desculpa por ter ficado tanto tempo sem publicar nada, mas com a escola, tem-se tornado complicado arranjar criatividade e tempo para os textos.
    Vou tentar manter-me mais activo, no que toca às publicações.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  2. que bom que você voltou a escrever...
    Esse texto deu para perceber que sua vida não está indo bem, eu te desejo força, tudo ficará bem.

    ResponderEliminar