3.19.2012

The hunter



Corre dentro de mim o reboliço, entrelaçando-se nas minhas veias frágeis de quem está cansado do mesmo pôr-do-sol apagado sentado sozinho, ou quando muito acompanhado pela solidão no alpendre onde o verão rebenta nos idos de Março e me derrete o gelo que o passado acumulou no meu peito. Castelos se erguem como muralhas à minha volta, na neve que nunca derrete.
Novamente encontro o amargo sabor do limão na boca; Vidas amarguradas sem açúcar parecem pintar os céus dos meus dias quando impotente luto do telhado contra as nuvens cinzentas que me roubam às dentadas as coisas doces e felizes perdidas nas linhas dos tempo, onde os pássaros fazem ninhos no começo da Primavera gélida que se estende, quando por ela passo cabisbaixo.
As palavras banhadas a amargo fluem da minha boca involuntariamente atravessando o peito de quem não tem culpa como espadas afiadas, famintas por devorar uma dentada ao mínimo golpe fatal. Alvos fáceis surgem ao virar da esquina, de defesa baixa com a amizade que sentem por mim reluzente no brilho dos olhares vivos que em nada se parecem com os olhos de quem os vê. Não faço por mal; As coisas ficam ditas naturalmente, como se alguém me forçasse a dizê-las; Todas aquelas verdades nuas e cruas e todas aquelas mentiras duras e secas de se ouvir que só um tolo diria a alguém que lhe dera um espacinho no coração sem nada em troca.
Defeitos entrelaçam-se nos meus cabelos; caem-me sobre os olhos impedindo-me ver as coisas boas de mim; Tiro as roupas felizes em frente ao espelho e desconheço quem sou; Estranho reflexo de um corpo vazio, preso nos olhares tristes de quem viu Fevereiro partir com as memórias melancólicas que deixaram meras marcas profundas; puras feridas em sangue no meu peito aberto com que tantos brincaram e deixaram, caído num canto qualquer como um brinquedo velho, para que os bichos o comecem nas sombras da noite, quando os olhos se fecham e as mentes se perdem nos sonhos quase reais que enganam aqueles que por segundos pensaram estar perto da felicidade, onde as crianças correriam descalças na rua e o silêncio se abafariam com os segredos do vento;
Palavras meigas tornam-se o isco, que as presas mordem quando armado me preparo para atacar violentamente o que pode haver de sobras de uma felicidade passageira na vida dos outros. Um caçador de sonhos; No fundo o portador da inveja; Aquele que não suporta ver os outros felizes quando nada sobra para roubar um sorriso nos momentos nostálgicos das manhãs de sol empoeirado que se passam a observar e desejar as gargalhadas dos demais, que nada têm além dessa maldita paz interior que tanto anseio descobrir, algures dentro de mim, num suspiro escapado. 

69 comentários:

  1. adoro o "nome" que dás aos comentários ihih ;) gosto de passar por cá, o teu blog inspira-me mesmo, obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, olha do fundo do coração muito obrigado. Não sabes como fico contente de ter finalmente pessoas a ler e admirar os meus trabalhos. Sente-te Livre para te inspirares sempre que precises. ;)

      Eliminar
  2. Só te posso dizer que fui uma agradável surpresa passar por este teu cantinho, perder-me nestas tuas palavras que na minha opinião são bastante boas. Também te irei seguir com toda a certeza. Um Abraço

    ResponderEliminar
  3. oooh de nada, o que eu disse também foi do fundo do coração, mas sabes deves ter montes de gente que te visita, podes é não saber, e essas pessoas umas admiram e outras ate te podem copiar e tu podes não saber (não quero levar isto para o lado mau ;s, mas já me aconteceu :\) mas sabes bem como és, por isso continua ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente sempre vai haver pessoas sem criatividade ao ponto de copiar o trabalho dos outros mas enfim, a inspiração não pode bater a todas as portas...

      Eliminar
  4. Antes de mais muito obrigada por seguires o meu blog !
    Fico contente por teres gostado dele , também gostei do teu e como tal também irei seguir . Mais uma vez obrigada : )

    ResponderEliminar
  5. Seu texto está lindo! Quando comecei a ler o texto vi porque colocastes o título de The hunter. Seu texto é bem profundo e quando o li, imaginei-o como um "mini" filme passando em minha mente. Sensação inexplicável! Parabéns pelo seu trabalho!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simplesmente Obrigado por dar um motivo de sorrir ao meu dia.

      Eliminar
  6. as pessoas não gostam de pessoas falsas,mas são incapazes de dizer uma coisa sincera isso é o que??? ser verdadeiro??
    então acho que deviam de consular o dicionário e verificar o significado do ser verdadeiro e ser falso...magnifico texto mais uma vez... :D

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito do texto e principalmente do blog *.*
    Sigo (:

    ResponderEliminar
  8. Muto obrigada, mesmo. É muito gratificante para mim ler uma coisas daquelas. Obrigada...
    Escreves muito bem!

    ResponderEliminar
  9. oh bem escreves tu. e eu é que agradeço por todas as sensações que tive ao ler este texto! está absolutamente lindo

    ResponderEliminar
  10. Obrigada por teres seguido, foi retribuído. Adorei o blog, escreves de uma maneira simplesmente mágica. Beijinhos, Leah*

    ResponderEliminar
  11. Gosto e sigo :) se quiseres segue de volta :D

    ResponderEliminar
  12. No inicio tive dificuldade em perceber o texto, tantas metáforas que me deram a volta à cabeºa, mas no fim entendi tudo com um pouco de esforço. O titlo tem tudo a ver com o texto, cada palavra expressa um sentimento diferente, uns de desgosto, outro de angutia e outros de tristeza absoluta.
    Obrifgada por seguireso meu blog, vou seguir o teu e ler todos os texto que continuarás a escrever :)

    ResponderEliminar
  13. eu vou passar 4 (:
    obrigadam sigo de volta *

    ResponderEliminar
  14. Tens razão, a vida nem sempre é fácil, mas este teu texto consegui entende-lo porque já me senti assim, com varias ideias na minha cabeça e com isso construi um texto que não tinha nem pés nem cabeça :p

    ResponderEliminar
  15. mesmo, adoro esta saga *.*



    p.s. apaixonei-me pelo teu blog :o

    ResponderEliminar
  16. Ensinam-nos imenso essas partidas e faz de nós pessoas melhores e mais fortes. Bonito blog*

    ResponderEliminar
  17. adoro a tua escrita (:
    apartir de agora, sigo-te *
    um beijinho

    ResponderEliminar
  18. Obrigado pelas palavras. :)
    Tens toda a razão :3

    ResponderEliminar
  19. Está lindo, completamente. Estou a seguir *
    P.S.- Se poderes/ quiseres, passa pelo meu.

    ResponderEliminar
  20. É mesmo isso, o que irrita profundamente. Mas a chuva até tem o seu lado: ficar em casa com o xuxu :D

    ResponderEliminar
  21. Muito obrigada pelos palavras :) e tens razão, somos somente nós que aceitamos quem parte.

    ResponderEliminar
  22. oh mas que texto tão encantador, escreves tão bem*.*

    Um beijinho,
    Juliet

    P.S.( sigo, se quiseres passa pelo meu cantinho)

    ResponderEliminar
  23. confesso que me perdi nestas palavras, escreves maravilhosamente.
    com certeza que também te seguirei :)

    ResponderEliminar